skip navigation
11.04.2022

25 anos a poupar tempo. Entrevista com o cliente TIMOCOM mais antigo, a Dallmaco

2022 é um ano Jubilar para a TIMOCOM. Há 25 anos que apoiamos o setor da logística rumo à logística 4.0 com a ajuda do Smart Logistics System

Wilhelm Dallmann, diretor-geral da Dallmaco Speditionsges. mbH, está sentado no armazém, rodeado de prateleiras e paletes.

2022 é um ano Jubilar para a TIMOCOM. Há 25 anos que apoiamos o setor da logística rumo à logística 4.0 com a ajuda do Smart Logistics System. A Dallmaco Speditionsges. mbH é um companheiro de viagem desde a primeira hora. A empresa de expedição de mercadorias de Welle, perto de Hamburgo, tinha apenas cinco anos quando, em 1997, deu os seus primeiros passos rumo à logística digital com a nossa recém-criada bolsa de cargas. Em conversa com o diretor-geral da empresa, Wilhelm Dallmann, mergulhamos na nossa história partilhada, olhamos para os desafios da época e descobrimos quais as vantagens que o sistema continua a oferecer à Dallmaco.

"O nosso desafio eram as viagens em vazio: Em caso de dúvida, os nossos veículos faziam viagens de regresso de 1 000 quilómetros em vazio. A TIMOCOM forneceu uma solução simples".
partilhar em:

Wilhelm Dallmann, em primeiro lugar, muito obrigado por ter aceitado encontrar-se connosco hoje.

Tenho todo o gosto. Fiquei muito satisfeito com o pedido. Afinal de contas, lançámos TIMOCOM na altura, por assim dizer.

Há 25 anos que trabalhamos em conjunto. Diga-nos, espontaneamente: O que associa à TIMOCOM e a esta parceria de longa data?

Muitas e belas memórias pessoais que começam com Jens Thiermann e nossa colaboração nessa altura, antes mesmo da época da TIMOCOM.

No que se refere ao lado comercial e à TIMOCOM, posso dizer que a Dallmaco tinha cinco anos na altura e – como ainda hoje – era curiosa e estava aberta a coisas novas. Depois, veio a TIMOCOM e tinha esta tentadora oferta para mapear digitalmente contactos e transportes em abertos. Alguns destes contactos no sistema já eram conhecidos, pelo que havia uma base direta de confiança, que ainda existe.

Pode descrever o trabalho com a bolsa de cargas recém-criada, limitada a essa funcionalidade na altura?

Nessa altura, a internet ainda funcionava através de um modem. Lembro-me de que o nosso chiava alto e o carregamento demorava algum tempo. Tínhamos instalado a bolsa de cargas num computador central e todas as manhãs havia uma grande excitação para saber se havia ofertas e, nesse caso, que ofertas tinham sido inseridas na bolsa de cargas através da transmissão remota de dados.

Se encontrássemos algo interessante, imprimíamos a oferta e solicitávamo-la por fax ao fornecedor ou estabelecíamos contacto telefónico. No entanto, ainda não havia seleção automática. Muitas coisas eram ainda efetuadas manualmente, em paralelo.

Refira-se que o TIMOCOM ID ainda não existia na época.

Permita-nos uma pequena comparação: Há 25 anos quais eram as tarefas que consumiam mais tempo? O que era considerado natural na altura e hoje é encarado como complexo?

Em retrospetiva, os processos manuais consumiam muito tempo. Nessa altura, era possível partir do princípio de que eram necessários, pelo menos, 30 minutos até estarem disponíveis todos os documentos necessários para a criação de uma ordem de transporte. No caso de se trabalhar com uma empresa no estrangeiro, esse processo poderia demorar horas, especialmente porque as mensagens eram frequentemente transmitidas por telex e as ligações vinham abaixo com frequência. Mas era normal e não se conhecia outra forma de fazer as coisas. Hoje estamos habituados a velocidades elevadas de transmissão, os documentos podem ser carregados facilmente e as ordens podem ser criadas com um clique. Mal se consegue imaginar os obstáculos daqueles tempos. Demora, no máximo, três minutos a concluir uma ordem de transporte.

A forma de trabalhar nessa altura é uma coisa. Os desafios em si são outra diferente. Que desafios tinha a Dallmaco quando se tornou cliente da TIMOCOM, em 1997? O que lhe deu confiança para usar este novo formato e tornar-se um dos primeiros clientes?

O nosso desafio eram as viagens em vazio: Em caso de dúvida, os nossos veículos faziam viagens de regresso de 1 000 quilómetros em vazio. A TIMOCOM forneceu uma solução simples.

Além das vantagens técnicas, também nos chamou a atenção na TIMOCOM a cobrança de uma taxa fixa mensal para o uso do acesso. A faturação do serviço em si – e assim continua até hoje – acontece entre as partes contratantes para um serviço efetivamente prestado.

Além disso, existe uma atmosfera de confiança na bolsa de cargas. Qualquer cliente da TIMOCOM divulga voluntariamente informações sobre si. Esta atitude positiva em relação à transparência era algo de novo. Depois, foram sendo adicionados mais e mais operadores conhecidos, o que reforçou ainda mais a seriedade e hoje em dia já pode ser chamado de critério de qualidade.

Em 25 anos já muito aconteceu. Em retrospetiva, em que é que a TIMOCOM ajudou acima de tudo? Pode colocar isso em números?

As aplicações da TIMOCOM tiveram um impacto a nível de processos na ordem de 80%.

Poupança de tempo, porque com o sistema e as suas interfaces podemos processar os pedidos de forma completamente digital. Além disso, conseguimos reduzir significativamente o número de viagens em vazio. A pesquisa nas imediações  na bolsa de cargas ajudou-nos muito a encontrar cargas para as viagens de regresso nas áreas periféricas.

Além disso, a orientação internacional do sistema ajudou-nos a abrir novos mercados. Em 2015, por exemplo, abrimos uma representação na Bósnia. Sem a TIMOCOM, o contacto provavelmente nunca teria sido estabelecido. Mas não se trata apenas de abrir novos mercados, também nos sentimos mais confiantes em relação a esses mercados, às pessoas e aos costumes de cada país.

Antes da TIMOCOM, também a comparação de ofertas era difícil. Como empresa jovem, pudemos aprender muito – como é que os outros discutem sobre os seus preços, em que se baseiam, como é que entram nas negociações?

Pode dizer-se que o sistema oferece ajuda nas mais diversas vertentes.

Estamos muito satisfeitos, muito obrigado! Agora já chegámos à última pergunta e gostaríamos de lançar um olhar para o futuro. Que conselho gostaria de dar à TIMOCOM para os próximos 25 anos?

O sistema da TIMOCOM sempre se caracterizou pela sua simplicidade. Apesar das inovações que tornaram o sistema mais e mais complexo, a sua utilização permaneceu simples. Quando recrutamos novos colegas, incluindo pessoas que vêm de outras áreas ou pessoas em formação que nunca trabalharam com o sistema antes, ao fim de um dia já sabem usá-lo. Esta simplicidade deve ser preservada a todo o custo.

Além disso: representam inovação no setor e tudo leva a crer que a TIMOCOM continuará a contribuir significativamente para a digitalização da logística.

A propósito: este ano, a Dallmaco Speditionsges. mbH irá celebrar 30 anos. Aproveitamos esta oportunidade para lhes darmos os parabéns e desejar-lhes bons negócios e boas viagens!

 

ir para cima