Um sector em busca de cargas

Mercado de transportes começa fraco no ano de 2016

partilhar em:
27.04.2016

Erkrath, 27.04.2016 – O sector de transportes europeu teve um começo fraco no primeiro trimestre deste ano. Isso é mostrado pelos números mais recentes do barómetro transporte TimoCom. Por conseguinte  a quota de carga em relação à capacidade disponível era de 30:70 nos primeiros três meses.  Mas parece que, com as temperaturas mais quentes, o mercado de transportes também está descongelando.

 

partilhar em:

O ano de 2016 começou extremamente modesto com uma diminuição de cargas livres na Europa. No final de mês de janeiro o barómetro de transporte TimoCom indicou uma quota de carga de 36% - seis pontos percentuais abaixo do valor do ano anterior.

Mas o sector de transportes seria ainda mais duramente afetado. Em fevereiro observou-se um significativo desiquilíbrio entre cargas e camiões: 21% das cargas oferecidas contra 79% de capacidade de carga livre. Fevereiro foi, assim, o mês mais fraco nos últimos 5 anos. "Aqui vemos as repercussões dosdesafios aos quais o sector de transporte e logística europeu está sujeito há meses", diz Marcel Frings, representante-chefe de TimoCom. A ameaça de terrorismo e sobretudo a crise de refugiados tiveram como efeito o fechamento das fronteiras também no espaço Schengen. O, até agora, livre fluxo de mercadorias passará novamente pela peneira."

Esta opinião também é partilhada pela Bundesvereinigung Logistik (BVL), no Indicador Logística actual para o primeiro trimestre: "Crise financeira, crise da Grécia, Grexit, Brexit e crise de refugiados - a cadeia de temas históricos e novos não se rompe. Incertezas relacionadas com o reforço dos controlos fronteiriços no espaço Schengen advertem o provedor de logística a ter cautela : Eles esperam novos - caros - desafios e processos de mudança. Soma-se a isso as incertezas sobre o desenvolvimento econômico internacional e da intensidade da transformação digital."

Tendência de alta perceptível

Tradicionalmente em março há novamente mais para transportar. O despertar da primavera com os primeiros raios de sol tem também um efeito estimulante no mercado dos transportes. A quota de cargas aumentou 12 pontos percentuais para 33% (2015: 40%) e deu assim a direção para os meses seguintes. "Mesmo que o clima económico para o espaço Europeu tenha sido desfavorável. A partir de agora a economia vai se revitalizar, pois isso puxa as pessoas para fora. Isso tem tradicionalmente efeito direto no mercado de transportes europeu. Nós esperamos que na próximas semanas aumente o número de contratos de transportes inseridos na plataforma de transportes TimoCom, diz Frings.

Já por volta do final de março houve uma equalização constante na relação carga - camião. Interessante será sobretudo ver se o mercado mantém o impulso no segundo trimestre. 

ir para cima

Ao usar este site aceita a utilização de cookies para análise, conteúdo personalizado e anúncios. Saiba mais