Barómetro dos transportes: Sprint final histórico no quarto trimestre

"Outono dourado" menos dourado do que esperado

partilhar em:
22.01.2016

Erkrath, 21.01.2016 – Enfraquecimento dos dados econômicos na Europa, crise de refugiados, expedidores pessimistas - o clima da conjuntura esfriou consideravelmente no final do ano e teve um impacto sobre o barómetro de transportes TimoCom. A relação bolsa de cargas e camiões era no 4º trimestre de 2015, 46:54 e ficou, assim, muito aquém das expectativas. Aqui o último trimestre começou bastante positivo.

 

partilhar em:

Em outubro o mercado de transportes europeu pode manter ainda o impulso do verão. Com uma relação de cargas para camiões de 49:51 o mês ficou ligeiramente acima dos números do ano anterior ( 48:52, em 2014 ). Particularmente notável: O declínio "normal" nos volumes de carga entre setembro e outubro caiu neste ano de longe não tão forte como em anos anteriores. Em 2013 e 2014 a percentagem de carga caíram nesse período cinco pontos percentuais; em 2015 foram apenas três pontos percentuais.

Meados do trimestre alterou o balanço

Em novembro os volumes de carga sofreram realmente um declínio. Caiu em onze pontos percentuais a quota de cargas no mercado de transportes europeu - a queda mais acentuada entre dois meses desde 2011. No final de novembro a relação de carga para camiões ficou em 38:62. No último relatório trimestral o representante chefe Marcel Frings estimou o mês de novembro como especialmente rico em cargas e prognosticou valores acima de 50 % de quota de frete: "De fato aconteceu exatamente o contrário. Isto mostra, por um lado, que eu nunca deveria seguir uma carreira como um clarividente ou 'oráculo de Erkrath' ", sorri Frings, "mas, por outro lado, também demonstra uma vez mais quão dinâmico setor de transporte e logística realmente é.

A base para a sua avaliação positiva não foi uma bola de cristal e sim fatos concretos. Ao olhar os dados históricos dos dois últimos trimestres, as orientações no 3º trimestre criam a expectativa de um boom de carga para novembro.

 Mas este ano os clientes, produtores e serviços de transporte começaram um pouco mais tarde com os negócios natalinas. Este atraso teve, por sua vez, um impacto positivo sobre o resultado de dezembro. Pois no último mês o barómetro de transporte deu tudo de si mesmo e novamente aumentou a quota de frete por 13 pontos percentuais. Desde o início da coleta de dados para o barómetro de transporte,Nunca houve um tal sprint final. Graças a este esforço o mês de dezembro encerra-se com uma leve aumento de carga ( 51:49 ).

 2016: Estabilização à vista

No fechamento final todo o ano de 2015 ficou com uma relação carga para camiões de 47:53, dois pontos percentuais acima do ano anterior. Em todos os fechamentos trimestrais a quota de carga foi maior do que o valor comparativo do ano anterior. A perspectiva é cautelosamente positiva. "Sem quaisquer capacidades de uma vidente é difícil avaliar atualmente o ano de 2016. Lidar com os ataques terroristas e com o aumento da ameaça global do terrorismo, os crescentes controles de segurança e lidar com questões de refugiados - estes são todos os pontos que tem uma influência direta sobre a economia da Europa", disse Frings. Independente disso há alguns sinais positivos para 2016. Espanha e Irlanda, por exemplo, parecem emergir da crise financeira não só com não só com um crescimento maior em números mas também qualitativo. Como um pilar central revela-se o consumo, pois ao lado do aumento de emprego está também o aumento de salários. Em uma região tão heterogênea como a Europa, este efeito positivo, é claro, não pode se fazer igualmente perceptível em todos os lugares. Mas ainda assim forte o suficiente para que os números do crescimento mostrem mais uma estabilização positiva que uma recessão duradoura."

 

 

ir para cima

Ao usar este site aceita a utilização de cookies para análise, conteúdo personalizado e anúncios. Saiba mais